Ano II  - número 3 - Março/2010

 

 

 

 

 

Sobe a cada dia o número de pessoas saudáveis tomando medicamentos sem comprovação científica e até mesmo sem indicação, como o uso de aspirina para quem não tem doença cardiovascular ou diabetes de maior risco. Estes medicamentos são prescritos para prevenção ou anti-envelhecimento. Muito cuidado. No caso da aspirina o custo pode ser maior que o beneficio. Não se deve tomar qualquer medicamento que não seja para tratar uma doença, antes que haja comprovação cientifica de beneficio para aquela pessoa especifica.

 

 

 

 

Comer bem

 

 

SOPA DE CREME DE PEPINO (Bianca Haegler — Cordon Bleu)

 

(6 porções)

 

 Ingredientes:

 

2 pepinos grandes

4 xícaras e meia de caldo de galinha

1 colher de sopa e meia de margarina cremosa

3 colheres de sopa de farinha de trigo

3 colheres de sopa de leite desnatado

3 colheres de sopa de creme de leite light

sal e pimenta

umas gotas de corante verde (opcional)

 

 

 

Lave o pepino. Descasque, deixando um pouquinho da casca e corte em pedaços grandes.

Ferva uma panela grande de água e quando estiver fervendo, junte o pepino, cozinhe 1 minuto e escorra.

Coloque o caldo de galinha numa panela, junte o pepino e cozinhe tampado uns 20 minutos. Passe numa peneira ou bata na batedeira.

Derreta a margarina cremosa, junte a farinha de trigo, deixe dourar, mas não deixe ficar escura.

Junte o purê de pepino e cozinhe mais 3 ou 4 minutos.

Deixe esfriar um pouco, junte o leite e o creme. Tempere com sal e pimenta ao gosto.

Esquente sem ferver. Sirva gelada. Enfeite com rodelas de pepino muito finas ou com umas folhinhas de agrião.

Pode colorir com umas gotinhas de corante verde (opcional)

 

Para você saber...

 

> FDA Americano proibiu o uso do medicamento para emagrecer Sibutramina em pacientes com doença cardiovascular, principalmente os com história de doença coronariana, AVC, isquemia cerebral transitória, arritmias, insuficiência cardíaca, doença arterial periférica e/ou hipertensão arterial não controlada. Esta medida baseada em recente estudo também influenciou a Agência regulatória européia.

 

> Maior envolvimento religioso, mais preces ou meditações não confere um melhor perfil de risco cardiovascular como se imaginava; ao contrário, está associado com mais obesidade e uma tendência a pior evolução.

 

> Estudo realizado em Boston mostrou que mulheres sem doença coronariana mas que tem gota, tem 40% mais chance de ter um infarto. Este foi o achado após 7 anos de seguimento. Gota é um fator de risco para doença coronariana.

 

> Melhoria dos hábitos de vida como alimentação, atividade física e parar de fumar, diminui os risco 6 meses após um infarto, porém 1/3 dos pacientes não segue as recomendações. Somente parar de fumar diminui o risco em 50%. Aqueles que não seguem estas 3 regras tem 3,8 mais chance de ter novo infarto, AVC ou morrer em 6 meses. Estas são as conclusões de um estudo com mais de 18.000 pacientes de 41 países.

 

> 1 em cada 5 jovens americanos entre 12 e 19 anos tem alteração nos lipides (gorduras) sanguíneos ; 1/3 destes são obesos ou tem sobre peso. Os meninos costumam ter HDL mais baixo do que as meninas. Também os mais velhos (18,19 anos) tem HDL mais baixo e triglicerídeos mais alto do que os de 12 ou 13 anos. Tenho estudo semelhante que pode ser acessado em www.scherr.med.br.

 

> Ter frequência cardíaca de repouso alta aumenta o risco de morrer de obstrução coronariana, principalmente as mulheres. Para cada aumento de 10 batidas por minuto há um aumento de 18% da chance de morte por doença coronariana nelas e de 10% neles. A mulher consegue equilibrar este efeito fazendo atividade física, mas o homem não. 

 

> Novas pesquisas mostram que a composição da placa de gordura é diferente quando comparadas de acordo com o sexo. Isto explicaria a maior possibilidade de instabilização nos homens em relação a elas. Foram 416 pacientes estudados mostrando que elas tem menos calcificação e placas mistas que eles.

 

  Previna-se

 

>  Estudo Encore mostra os benefícios da combinação de uma dieta estilo mediterrânea com pouco sal e atividade física, resultando em perda de peso e melhoria da pressão arterial e de outros parâmetros cardiovasculares.

 

> Telomeros são as terminações cromossomiais do DNA; estas vão se encurtando com a idade, o que está associado com maior morbidade e mortalidade em pacientes com doença cardiovascular. O fato novo é que o óleo de peixe provavelmente diminui este encurtamento, funcionando como um protetor. Pacientes coronarianos podem se beneficiar com o uso diário de 1g de ômega 3.

 

> Cuidado com o uso concomitante  de medicamentos para o sistema cardiovascular e ervas medicinais, é o que aponta um estudo. Ginseng pode alterar a pressão arterial tanto para cima quanto para baixo; ioibina, ginkobiloba pode aumentar o tempo de sangramento em pessoas fazendo uso de antiplaquetários como a aspirina.

 

> Novo estudo com  4.857 crianças e adolescentes entre 5 e 19 anos mostrou que quando acompanhados em média por 27 anos, até os 55 anos, existe uma relação com morte prematura naqueles acima do peso e nos que apresentavam glicose no sangue acima do normal, porém sem serem diabéticos.


C A R L O S  S C H E R R  S E R V .  C A R D I O L  Ó G I C O S  L T D A .                 

Rua Visconde de Pirajá, 595 — 1204 — Ipanema — Rio de Janeiro — CEP 22410-003

Site

www.scherr.med.br

E-mail

carlos.scherr@all.com.br
Telefone Consultório

(21) 2294-1544

Celular | Urgências

(21) 8145-8005

Skype

carlos.scherr.serv.cardiologicos

 

Caso deseje RETIRAR seu e-mail desta lista, favor enviar e-mail para:

carlos.scherr@all.com.br no campo ASSUNTO escreva: RETIRAR E-MAIL DO NEWSLETTER


Copyright (C) 2008 *| Carlos Scherr Serv. Cardiológico LTDA |* Todos os Direitos reservados.