Ano V -  número 07-  julho/2013

 

 

 

 

 

 

 

     

Estudo sueco recém publicado com 52.000 atletas com idade média de 38 anos concluiu, após décadas de acompanhamento de atletas de alta performance tipo ironman, cross-country skiers e principalmente aqueles com mais participações em finais, que estes atletas tem maior incidência de arritmias cardíacas. Nem todas são preocupantes e nem o estudo proíbe os atletas de alto endurance de praticar seus esportes preferidos, até porque em outros estudos este tipo de exercício mostrou prolongar a vida destes. Vale notar que estes indivíduos costumam ter bons hábitos de vida. Talvez o segredo possa estar no tipo de treinamento ou mesmo nas reposições  alimentares necessárias. Fato é que se alguém deseja ser atleta de alta performance deve ser acompanhado por um cardiologista. 

                    

 

Comer bem

 

Fondue de queijo light

 

Para 4 pessoas

 

Ingredientes:

 

2/3 de xícara de leite desnatado

1 colher de sopa de maisena

2 dentes de alho sem casca amassados

1 folha seca de louro

¼ de colher de sopa de mostarda dijon

Noz moscada ralada

114g de queijo cheddar light

2 xícaras de for de brócolis cru

4 cenouras grandes descascadas e cortadas longitudinalmente

230g de tomate cereja

450g de batatas pequenas cozidas

Uma garrafa de cerveja preta

 

 

Modo de Preparo:

 

 

 

Em uma panela média misture o leite com a maisena até que este fique completamente dissolvido (incline a panela para ter certeza que não há caroços ainda).

Adicione metade da cerveja, o alho, o louro, mostarda e a noz moscada.

Coloque a panela no fogo médio. Misture constantemente e adicione o restante da cerveja até ferver e misture por mais 1 minuto.

Adicione o queijo e bata até o queijo ficar derretido e leve. Retire do fogo, descarte a folha de loro e transfira a mistura para um recipiente próprio para fondue. Sirva molhando com a cenoura, brócolis, batata e o tomate cereja.

 

 

 

 

 

 

 

 

Previna-se

 

> Novo estudo utilizando a alimentação estilo mediterrânea em pacientes portadores de placas de gordura nas artérias carótidas (no pescoço), mostrou uma diminuição na progressão das obstruções no grupo mais aderente a este tipo de alimentação que foi enriquecida com o consumo de frutos secos, tipo nozes.   

  

> Estudo canadense que avaliou crianças entre 3 e 5 anos, constatou que aquelas que tinham hábito de comer assistindo televisão, apresentaram maiores chances de obesidade na idade adulta e maior risco de doenças cardiovasculares.

 

> Um estudo com 149.000 pessoas consumidoras de carne vermelha mostrou que aqueles que consumiram este tipo de alimento em pelo menos uma refeição diária, aumentaram o risco de desenvolver diabetes. O período de tempo necessário para isto seria de 4 anos com este ritmo de consumo. Uma ressalva importante é que não foi computado aí o teor de gordura das carnes, nem o modo de preparo.  

 

> Embora o consumo de linhaça tenha mostrado diminuir o colesterol em adultos, este fato não foi comprovado para crianças com colesterol alto. Esta foi a conclusão de um estudo canadense que adicionou linhaça em alguns alimentos. O que foi observado na realidade ao invés da diminuição do colesterol, ocorreu um aumento dos triglicérides.

 

 

Para você saber…

 

> Pacientes em tratamento quimioterápico para câncer devem sempre ser controlados e avaliados para a possibilidade de desenvolverem trombos (coágulos sanguíneos) enquanto durar tal terapia. Da mesma maneira que deve-se estar atento a presença de maior ansiedade nos pacientes após qualquer tipo de tratamento para o câncer, pois esta é a desordem emocional mais frequentemente encontrada nestas condições.

 

> Em acompanhamento de 16 anos de pacientes com a chamada hipertensão do jaleco branco, aquela que costuma só aparecer nas consultas médicas e não em casa. Mostrou que os portadores deste achado tem quase 4 vezes mais chance de desenvolver hipertensão que aqueles que tem pressão normal, bem como maior mortalidade cardiovascular e geral que estes.

 

> Estudo com pacientes em uso de estatinas (remédios para abaixar o colesterol) em doses altas apresentaram maior incidência de dores musculares, entorses ou outros fenômenos musculares.

 

> Estudo israelense sugere que fumar maconha pode diminuir a dor, o tremor e melhorar o sono de pacientes com doença de Parkinson. Alem disto seria possível diminuir a rigidez muscular e a lentidão de alguns movimentos. Mesmo assim esta não é uma recomendação e os pesquisadores ainda reservam esta ação para casos em que não obtiveram grande avanço com a terapêutica usual.

 

> Estudo Francês mostrou uma pequena diminuição da pressão arterial em pessoas que consomem café ou chá em relação aos que não tem este habito. Porem a falha desta avaliação de mais de 120.000 pessoas foi que não houve diferenciação do tipo de chá consumido e tão pouco do grau de cafeína do café ingerido. Cabe lembrar que existem pessoas mais susceptíveis aos efeitos da cafeína em relação ao ritmo do coração.

 

 

 

C A R L O S  S C H E R R  S E R V .  C A R D I O L  Ó G I C O S  L T D A .                 

Rua Visconde de Pirajá, 595 — 1204 — Ipanema — Rio de Janeiro — CEP 22410-003

Site

www.scherr.med.br

E-mail

carlos.scherr@all.com.br
Telefone Consultório

(21) 2294-1544

Celular | Urgências

(21) 8145-8005

Skype

carlos.scherr.serv.cardiologicos

 

Caso deseje RETIRAR seu e-mail desta lista, favor enviar e-mail para:

carlos.scherr@all.com.br no campo ASSUNTO escreva: RETIRAR E-MAIL DO NEWSLETTER


Copyright (C) 2008 *| Carlos Scherr Serv. Cardiológicos LTDA |* Todos os Direitos reservados.